profile_michiles

Conversamos com  Eunice Michiles que, aos 84 anos, mantém a vivacidade do discurso e a pronta resposta.  Uma servidora pública que resolveu desbravar seus próprios caminhos,  acumulando títulos de ser a primeira em quase tudo que fez.  Primeira deputada a dirigir a Assembleia Legislativa do Amazonas, Primeira mulher no Senado da República, primeira  mulher conselheira do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas. Eunice foi tantas vezes primeira, que hoje podemos afirmar que ela foi simplesmente única. Confira nossa conversa com a primeira personagem da série “perfil”  deste site.

PERFIL – Como a senhora se define?

E.MICHILES -Uma pessoa abençoada que sempre tentou cumprir o seu dever, diante de uma inspiradora direção divina.

 

PERFIL  -O que não foi dito sobre a senhora que é preciso saber?

Que superei  minha  grande dificuldade, a timidez em falar em público. O ambiente foi meio hostil, em um período em que política era coisa de homem. O mundo político era masculino demais para uma mulher querer se aventurar. Mas eu fui e venci minhas dificuldades, mesmo tendo ao meu redor grandes oradores .

 

PERFIL  -O que a senhora ganhou de mais relevante da vida?

Ganhei experiência, amadurecimento, visão diferente do mundo e do universo

 

PERFIL  – O que significa servir à sociedade?

Ter um ideal para servir e fugir do auto servir. Ter cuidado ao se propor a isso. Há muitas possibilidades de descaminhos. É preciso ter firmezas de caráter para se manter firme.

 

PERFIL  - Qual o conselho a ser dado para gestores públicos de pessoas?

Caráter, compromisso, seriedade, honestidade. Sigam suas carreiras por valores e princípios.

 

PERFIL  – O que mais foi marcante durante sua trajetória no tribunal de contas?

Minha indicação foi muito disputada, houve uma pequena guerra. Os ânimos estavam exaltados.  Mas depois que assumi, tudo se acalmou. Houve sempre respeito comigo.  A minha maior contribuição foi ter tido toda uma vivência na política. Andei muito pelo interior.   Com isso pude ser mais sensível à realidade dos prefeitos, às mazelas do estado. Minha maior contribuição foi essa, a  de trazer minha experiência política aos julgamentos, deixar a lei menos dura. Situações que não cabiam dentro da lei,  mas faziam parte da realidade  dos municípios.

 

PERFIL  – O que poderia falar sobre o servidor e o serviço público?

Ser servidor é gostar de servir, de oferecer sua melhor energia. Hoje vemos uma máquina pública emperrada, com recursos saindo pelo ralo.  A máquina não está azeitada. Precisa de algo que a motive a funcionar melhor. Que eleve sua qualidade de destaque, a competência.

 

PERFIL  – Quem é Eunice Michiles na Vida Pública?

Uma mulher que teve suas limitações mas que não mediu esforços para fazer a coisa correta. Uma mulher que invadiu o mundo masculinizado da política brasileira e que com audácia abriu caminhos  para o Estado do Amazonas, para as mulheres e, para a liberdade religiosa, uma bandeira que precisa ser resguardada 

 

PERFIL  – Livros que gosta

Durante o meu exercício li grandes obras e a Bíblia. Hoje meu livro de cabeceira é a bíblia sagrada. É nela que me inspiro. É nela que o homem encontra as respostas para sair da estagnação àa felicidade.

 

PERFIL  -Músicas que  gosta

Gosto de música sacra. Vou a muitos corais. É neste rítmo que me deleito.  

 

PERFIL  -O que é a família para a senhora?

Família é tudo, é a base. Mesmo assim vejo a família em crise de comunicação. A internet separa e divide as famílias. Cada um no seu quarto. Isso é ruim. A internet pode ser ótima mas é preciso trabalhar os limites, de outra forma é perigosa para a educação.